A FRATERNIDADE COMO MECANISMO DE TRANSFORMAÇÃO SOCIAL.

  • Carla Vieira VAZ Fundação de Ensino Eurípides Soares da Rocha - Univem

Resumo

O presente artigo pretende analisar a fraternidade pela ótica do mundo do direito, bem como a efetivação da fraternidade, observando – se a função promocional do direito que orienta a pessoa humana a alcançar o comportamento social adequado, justificando a satisfação dos direitos fundamentais em virtude de buscar uma convivência harmoniosa em sociedade. O artigo favorece também reflexões sobra a fraternidade como categoria jurídica, capaz de ver no mundo do direito novas perspectivas e possibilidades, ou seja, humanização de vários campos do direito. Além de oferecer novos elementos para o pensamento, reflexão e a pesquisa no campo jurídico, demonstrando assim, os efeitos da fraternidade e seu potencial transformador, incentivando a uma solução pacífica dos conflitos através do diálogo e da conciliação. Nesse contexto, o presente artigo aborda também a importância e o incentivo da fraternidade como elemento de transformação da sociedade, levando – se em consideração o princípio da dignidade da pessoa humana, como preceito fundamental do nosso ordenamento jurídico

##submission.authorBiography##

##submission.authorWithAffiliation##

Aluna do Programa de Mestrado em Direito do Centro Universitário Eurípides de Marília – UNIVEM.

Membro do Grupo de Pesquisa “A intervenção do Poder Público na vida do indivíduo”. Advogada, especialista pela UEL – Universidade Estadual de Londrina. Membro Titular do Conselho Municipal de Educação da Cidade de Assis/SP

Publicado
2017-01-27
Como Citar
VAZ, Carla Vieira. A FRATERNIDADE COMO MECANISMO DE TRANSFORMAÇÃO SOCIAL.. Revista de Artigos do 1º Simpósio sobre Constitucionalismo, Democracia e Estado de Direito, [S.l.], jan. 2017. Disponível em: <http://revista.univem.edu.br/1simposioconst/article/view/1214>. Acesso em: 26 sep. 2017.
Seção
Direitos Fundamentais, Judicialização da Política, Politização do Direito