DEPENDÊNCIA DE SUBSTÂNCIAS PSICOATIVAS ENTRE IDOSOS: UM DESAFIO PARA A SAÚDE PÚBLICA.

  • José Stéfano Faia Destro INDEP - Instituto de Ensino, Capacitação e Pós Graduação

Resumo

Segundo os dados divulgado, recentemente, pelo IBGE (2016), estima-se que no ano de 2050 o número de idosos no Brasil alcançará 64 milhões, e que até 2070 irá totalizar 35% da população. Ainda que, a prevalência de uso de substâncias psicoativas seja maior entre jovens, pode-se verificar que, o uso de tais substâncias entre idosos vem aumentando e preocupando profissionais de Saúde Pública. O presente artigo, tem-se como objetivo evidenciar o aumento de idosos usuários e a importância de identifica-los para que sejam assistidos de maneira adequada. Nesse contexto, utilizou-se pesquisa bibliográfica com base em referencias (impressa e eletrônica) acerca da temática sobre abordagem do método dedutivo. A literatura indica carência de estudos sobre o tema, tendo em vista que a maioria das produções cientificas são internacionais. Ressalta que o álcool é a droga mais utilizada entre os idosos, mas que o uso abusivo de medicamentos prescritos merece atenção redobrada devido ao seu alto poder de dependência, e no que tange o uso de drogas ilícitas, ainda que pouco utilizadas entre idosos, tem crescido progressivamente. Evidencia-se necessidade de maior conhecimento por parte dos profissionais de saúde sobre dependência química na terceira idade e uso de estratégias e aplicação de instrumentos que facilitem a identificação precoce desses usuários.


 Palavras-chaves: Transtornos Relacionados ao uso de Substâncias. Dependência Química. Idosos. Saúde Mental.

Publicado
2018-08-28
Como Citar
DESTRO, José Stéfano Faia. DEPENDÊNCIA DE SUBSTÂNCIAS PSICOATIVAS ENTRE IDOSOS: UM DESAFIO PARA A SAÚDE PÚBLICA.. REGRAD - Revista Eletrônica de Graduação do UNIVEM - ISSN 1984-7866, [S.l.], v. 11, n. 01, p. 01 - 15, aug. 2018. ISSN 1984-7866. Disponível em: <http://revista.univem.edu.br/REGRAD/article/view/2592>. Acesso em: 15 nov. 2018.