A ESCUTA ATIVA E A ALTERIDADE COMO PRESSUPOSTOS PARA A LIBERAÇÃO DO PERDÃO PELA MEDIAÇÃO

  • Charlise Paula Colet Gimenez URI Santo Ângelo
  • Alini Bueno dos Santos Taborda URI Santo Ângelo

Resumo

O presente trabalho tem por finalidade debater a importância da escuta ativa e da alteridade no procedimento da mediação, como método eficaz de resolução de conflitos sociais e local de liberação de perdão. Para a realização do presente estudo, adota-se o método de abordagem hipotético-dedutivo. Como vertente principal de discussão, destaca-se a importância do saber escutar como forma de criar empatia e, acima de tudo, estabelecer um ambiente mais afetuoso e propicio ao encontro de soluções satisfatórias para os conflitos. Apresenta-se, ainda, a importância da alteridade, como um ato de efetivamente ver e sentir o outro para que assim ocorra a chamada liberação do perdão enquanto possibilidade de reconciliação, transformação das relações conflituosas e o despertar para uma sociedade mais terna e pacífica.

Biografia do Autor

##submission.authorWithAffiliation##

Doutora em Direito pela Universidade de Santa Cruz do Sul – UNISC. Professora do Programa de Pós-Graduação stricto sensu em Direito – Mestrado e Doutorado, e do Curso de Graduação em Direito, ambos da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões – URI, campus Santo Ângelo/RS. Integra o Grupo de Pesquisa Conflito, Direitos Humanos e Cidadania, vinculado à Linha 2, Políticas de Cidadania e Resoluções de Conflito, do PPG Mestrado e Doutorado em Direito da URI. Coordenadora do Curso de Graduação em Direito da URI, campus Santo Ângelo/RS. Advogada.

##submission.authorWithAffiliation##

Doutoranda em Direito pela URI – Campus de Santo Ângelo/RS, Mestra em Direito, Especialista em Direito Tributário e Exercício do Magistério Superior pela UNISUL/SC, Especialista em Formação Pedagógica pela Celer Faculdades/SC, Advogada. Integrante do Grupo de Pesquisa CNPq Conflito, Cidadania e Direitos Humanos e do Grupo Cidadania e Direitos Culturais: a proteção dos direitos das minorias nos tribunais brasileiros, vinculado ao CNPq.

Publicado
2018-02-09
Como Citar
COLET GIMENEZ, Charlise Paula; BUENO DOS SANTOS TABORDA, Alini. A ESCUTA ATIVA E A ALTERIDADE COMO PRESSUPOSTOS PARA A LIBERAÇÃO DO PERDÃO PELA MEDIAÇÃO. Revista Em Tempo, [S.l.], v. 16, n. 01, p. 206 - 222, feb. 2018. ISSN 1984-7858. Disponível em: <http://revista.univem.edu.br/emtempo/article/view/2418>. Acesso em: 22 oct. 2018. doi: https://doi.org/10.26729/et.v16i01.2418.