Uma genealogia do extermínio da subjetividade no Brasil

O direito e a política como instrumentos garantidores

  • Claitom Ercílio Fortunato UNIFCV
  • Daniel Vicentini UNIFCV
  • Jefferson Aoki UNIFCV
  • Vitor Hugo Oliveira Araújo UNIFCV

Resumo

A presente pesquisa tem a pretensão, a partir de uma perspectiva crítica, analisar a gênese do autoritarismo no Brasil, e modo pelo qual ela emerge na vida jurídica e política do país. Assim, o objetivo desta pesquisa é apresentar a escalada autoritária desde sua formação sociológica e cultural, até as práticas dos chefes de estado com o enfoque na transição do império para a república, se entendendo ao estado novo modulado por Vargas, e demonstrar que mesmo em governos de civis, o autoritarismo é característica fundante das ações políticas. Verificar-se-á como o conceito de ditador em Carl Schmitt contempla também a política brasileira, e a ideia de desumanização do indivíduo está enraizada na nossa história. É esperado chamar atenção dos juristas para a presença do autoritarismo nas práticas governamentais brasileiras.

Publicado
2022-04-27
Como Citar
FORTUNATO, Claitom Ercílio et al. Uma genealogia do extermínio da subjetividade no Brasil. REGRAD - Revista Eletrônica de Graduação do UNIVEM - ISSN 1984-7866, [S.l.], v. 14, n. 1, p. 156 - 178, apr. 2022. ISSN 1984-7866. Disponível em: <https://revista.univem.edu.br/REGRAD/article/view/3197>. Acesso em: 20 may 2022.