A FACE DIGITAL DA DEMOCRACIA DELIBERATIVA

FAKE NEWS, CIDADANIA E IMPACTOS INSTITUCIONAIS

  • Sérgio Luiz de Melo Centro Universitário Eurípides de Marília - UNIVEM
  • Edinilson Donisete Machado

Resumo

O presente artigo analisou o instituto da democracia a partir da participação eleitoral do cidadão e a decisão da maioria. Ocorre que com o advento das novas tecnologias e a difusão da informação por meio de plataformas digitais, a discussão democrática extrapolou o exercício do voto, o que é benesse para toda a sociedade civil, pois possibilita uma ampliação do exercício da cidadania. Deste modo, esta pesquisa tem como objetivo discorrer sobre a aproximação do povo do debate político e do espaço público, por meio das novas tecnologias, e as consequências diante das instituições democráticas, a liberdade de expressão e o exercício da cidadania. Nesse sentido, foi utilizado uma abordagem qualitativa, tendo em vista que isto porque, foi analisado questões teóricas inerentes ao instituto da democracia. Ademais, é classificada pelo método hipotético-dedutivo, haja vista o presente trabalho encontra uma possível solução para a problemática outrora apresentada. Quanto aos procedimentos técnicos, a pesquisa é classificada como documental e bibliográfica. Por fim intenta-se que, analisado o contexto fático-teórico, democracia e novas tecnologias, conjugados, possam contribuir de maneira mais efetiva para a o exercício da cidadania.

Publicado
2022-04-28
Como Citar
DE MELO, Sérgio Luiz; MACHADO, Edinilson Donisete. A FACE DIGITAL DA DEMOCRACIA DELIBERATIVA. REGRAD - Revista Eletrônica de Graduação do UNIVEM - ISSN 1984-7866, [S.l.], v. 14, n. 1, p. 1 - 18, apr. 2022. ISSN 1984-7866. Disponível em: <https://revista.univem.edu.br/REGRAD/article/view/3346>. Acesso em: 03 oct. 2022.