O USO DA INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL PELO PODER JUDICIÁRIO

caminho para uma prestação jurisdicional mais célere?

  • Sarah Priscila Feitosa Alexandre Universidade Federal de Sergipe
  • Lucas Gonçalves da Silva Universidade Federal de Sergipe

Resumo

Diante dos expressivos números de processos em trâmite no Judiciário brasileiro e da problemática envolvendo a celeridade processual, o presente texto tem por objetivo, com alicerce em pesquisa bibliográfica e estatística, analisar de que maneira a utilização de mecanismos de Inteligência Artificial pode contribuir para a melhoria desse cenário. Levando em consideração os riscos dos referidos mecanismos, também será realizada reflexão crítica sobre pontos que possam comprometer sua utilização. Após, será possível ponderar se a incorporação tecnológica à área jurídica é de fato vantajosa

##submission.authorBiography##

##submission.authorWithAffiliation##

Pós-doutor em Direito pela Università Degli Studi G. d'Annunzio (Italia) e pela Universidade Federal da Bahia. Doutor e Mestre em Direito do Estado, na sub-área de Direito Constitucional, pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo-PUC/SP. Professor Associado da Graduação em Direito e do Programa de Mestrado em Direito na Universidade Federal de Sergipe-UFS. Consultor da Câmara de Assessoramento da FAPITEC/SE. Consultor da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Capes. Membro da Direitoria do Conselho Nacional de de Pesquisa e Pós-graduação em Direito - CONPEDI.

Publicado
2023-02-06
Como Citar
FEITOSA ALEXANDRE, Sarah Priscila; DA SILVA, Lucas Gonçalves. O USO DA INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL PELO PODER JUDICIÁRIO. Revista Em Tempo, [S.l.], v. 22, n. 1, p. 220 - 236, feb. 2023. ISSN 1984-7858. Disponível em: <https://revista.univem.edu.br/emtempo/article/view/3398>. Acesso em: 23 may 2024. doi: https://doi.org/10.26729/et.v22i1.3398.
Seção
Artigos Seção Geral