Uma revista (Em Tempo) que tem um número especial sobre o tema do perdão, com enfoque na mediação, conciliação e arbitragem. A sugestão inicial partiu do Prof. Oswaldo Giacóia Jr..Sobre o tema, já um ex-professor da casa, Dr. Carlos Aurélio Mota de Souza, afirmou o seguinte: Perdoar é tema pertinente a estes tempos de injustiças, conflitos familiares, sociais e entre os povos. O perdão expressa a superioridade moral do agir humano, é prática de justiça na sociedade e perante os tribunais, e é garantia de pacificação, fundado nas categorias da fraternidade e da misericórdia.Perdoar pessoalmente o próximo, ou diante de juízes, apaga a violência praticada, restaura as relações pessoais e restabelece a paz social, objeto maior da justiça, a virtude humana por excelência, louvada pelos filósofos antigos, pelo ensino de São Tomás de Aquino e pela doutrina social da Igreja.” Assim, diante da importância do tema para a atualidade é que se tomou como referência para o número da Em Tempo deste ano. Trabalhar a mediação, conciliação e arbitragem no universo jurídico nos parece que é uma característica do atual momento que toma a tecnologia como referência. Vale aqui consignar que em 2017 o UNIVEM realizou o 7º Congresso de Pesquisa Científica: Inovação, Sustentabilidade, Ética e Cidadania e o 18º SIC - Seminário de Iniciação Científica, juntamente com a presença na organização de outras universidades da região. Só por esta informação fica demonstrado que o Univem ingressou no universo da pesquisa científica. Junte-se a isto o trabalho que se tem promovido no Mestrado em Direito, notadamente com a realização do III Simpósio sobre Constitucionalismo, Democracia e Estado de Direito, pelo Grupo de Pesquisa “A intervenção do Estado na vida da pessoa”, sob a liderança do Professor Ricardo Pinha Alonso; o II Simpósio de Constitucionalização do Direito Processual, pelo Grupo de Pesquisa “Constitucionalização do Direito Processual”; e o I Colóquio de Filosofia do Direito do Univem, pelo Grupo de Pesquisa “GEP Grupo de Estudos e Pesquisas - Direito e Fraternidade”. Também fizeram parte do Congresso a VI Semana da Engenharia da Produção, do Curso de Engenharia e a XVI Exposdesign do Instituto Superior e Tecnologia. Com isto, o Univem está preparando umambiente para a construção de um Parque Tecnológico para Marília. Podemos afirmar tratar-se de um forte relacionamento do UNIVEM com a sociedade. O Univem inaugurou em 2017 um ambiente de empreendedorismo e inovação, o InnovaSpace-Coworking, no Centro de Inovação Tecnológica de Marília – CITec-Marília, no campus do UNIVEM. O CITec-Marília conta, também, com o Centro Incubador de Empresas de Marília – Ciem. Ambos mantêm mais de 25 empresas de base tecnológica residentes nos modelos de incubação, pós-incubação e centros privados de inovação. Algo que deve ser considerado na trajetória do Univem é o fato do projeto de desenvolvimento econômico e social, que o Brasil está incrementando, exige um posicionamento seguro das universidades. É nestadireção que o UNIVEM tem se posicionado para dar sua contribuição na pesquisa científica, já que é uma maneira de produzir conhecimento para estar a serviço do desenvolvimento. Para ilustrar, os alunos de pós-graduação – lato sensu - terminam seus cursos – no trabalho de conclusão - com a participação em uma startup, que é uma ideia inovadora, alguma coisa nunca criada ou pouco explorada, ou seja, a criação de um negócioque mudará a experiência do aluno quanto ao seu estudo, fazendo-o ter uma relação teoria prática simultânea. O mercado de trabalho está exigindo cada vez mais do profissional, que já não basta este ter conhecimentos teóricos e sim na realização de uma prática que busca a produção de novas ideias e conhecimentos. E o UNIVEM aponta nesterumo. Por fim, o tema tomado para a revista Em Tempo de 2017 (perdão, com enfoque na mediação, conciliação e arbitragem) foi mesmo oportuno. O mundo precisa de muita reflexão sobre ele. Foi assim que asseverou o Professor, da casa, Dr. Nelson Finotti Silva: “Perdoar é um mecanismo tão importante que não é só estudo pela religião ou filosofia, mas pelo direito a prova é esta obra e mais, diria que se tornou um norte de política pública, já que foi sancionada a Lei Federal nº 13.437, de 19 de abril de 2017 que institui o Dia Nacional do Perdão a ser comemorado todo dia 30 de agosto, com o fim de promover a cultura da paz no Brasil.”


Luiz Carlos de Macedo Soares
Reitor do UNIVEM
Ex-Promotor de Justiça Estadual no Estado de São Paulo

Publicado: 2017-11-05

Apresentação - Em Tempo UNIVEM

Artigos

Artigo Estrangeiro

Carta Aceite

Resumo de Dissertações